Particulares podem ter notas de crédito

Dinheiro

Quando for pedir um crédito a um banco ou qualquer sociedade financeira, estas vão poder classificá-lo com uma nota, que mede o seu grau de risco. Trata-se do chamado «scoring», ou seja, aplicar uma notação aos particulares, da mesma forma que já se faz para as empresas.

 

O serviço está já a ser comercializado em Portugal pela Credinformações, uma empresa que gere bases de dados de crédito, avançou esta sexta-feira o «Diário de Notícias».

O director de sistemas de decisão da empresa, Paulo Viegas de Carvalho, afirmou que o «score» pode ser atribuído a clientes de instituições financeiras que já participam na base de dados da Credinformações ou a consumidores que não estejam registados nestas bases.

«Se a Credinformações já possui um registo sobre esse cliente, então essa mesma informação é tratada, para a atribuição da nota, tendo em conta o histórico», refere Paulo Viegas de Carvalho.

No entanto, caso o cliente seja desconhecido, o modelo de análise será diferente e basear-se-á na informação que é prestada pela empresa que lhe irá conceder o crédito.

Assim, a Credinformações fornece diversos modelos de «scoring» : o comportamental, à medida do cliente e feito com base na informação armazenada (quantos créditos tem ou já teve, se teve incumprimentos, como os resolveu), ou de aceitação, que recorre à informação fornecida pela instituição financeira que não participa nas bases de dados da Crediformações.

«O scoring pode ser um instrumento muito eficaz para as empresas tomarem as suas decisões, quando chega a hora de conceder um crédito», defende o director da Credinformações.

Actualmente, esta empresa está a fornecer este serviço só com recurso à sua base de dados negativa, ou seja, os registos de clientes com situações de incumprimentos. A Credinformações já tem igualmente uma base de dados positiva (clientes sem incumprimentos de crédito), mas esta ainda não atingiu dimensão crítica, de forma a poder ser utilizada neste tipo de análise.

Como funciona?

Uma vez que se trata de uma notação, é atribuído a cada consumidor uma nota, de um a cinco, sendo o cinco o cliente com maior risco de incumprimento.

«Com esta nota, a empresa que vai conceder o crédito toma a decisão que entender», refere Paulo Viegas de Carvalho ao mesmo jornal. Até porque um cliente com um incumprimento no passado não significa que vai voltar a ter uma situação idêntica no futuro. Apenas a probabilidade de isso acontecer é maior, esclarece.

Além de fornecer este tipo de serviço, a Credinformações vende igualmente soluções tecnológicas a empresas, para que estas possam tratar a informação de crédito dos seus clientes.

Além das empresas do sector financeiro, que concedem crédito, a informação sobre «scoring» de clientes pode interessar também a outros sectores de actividade. É o caso, por exemplo, das empresas de telecomunicações, que, ao atribuírem determinadas soluções de pagamento de comunicações móveis, estão a conceder crédito sob outra forma. Também as farmacêuticas, por exemplo, poderão precisar deste tipo de informação para conhecer o perfil das empresas distribuidoras com quem trabalham.

-------

in: Agência Financeira,8jun07

publicado por AEDA às 11:14 link do post | favorito