Fusões e evolução da economia suportam PSI-20 em 2007

A melhoria dos fundamentais das empresas e da economia portuguesa a par da continuação da onda de Fusões e aquisições (F&A) deverão dar suporte à bolsa de Lisboa no próximo ano, segundo analistas.

Rita Paz ,com Reuters

Estes responsáveis consideram que as perspectivas para o mercado accionista português em 2007 são optimistas, à semelhança dos mercados de acções na Europa, mas acreditam que o PSI-20 não deverá valorizar tanto como este ano.

"Estamos a ver o mercado com perspectivas favoráveis em 2007 por duas ordens de razões: por um lado há um ambiente de taxa de juro favorável e liquidez para a alocação de activos em acções e, por outro, acredito que o cenário de especulação e F&A continue para além da conclusão das duas principais OPA", disse Carla Rebelo.

A head of research do Banif considera ainda que 2007 será um ano de maior volatilidade perante as incertezas relativamente à evolução económica nos EUA e à política de taxas de juro da Reserva Federal.

Os analistas lembram ainda que 2007 será um ano marcado pela última fase de privatização da EDP e pela entrada em bolsa de empresas como a REN-Redes Energéticas Nacionais ou a Martifer, empresa detida em 50% pela Mota-Engil, que vêm trazer ao mercado nacional uma maior diversidade e visibilidade.

"A performance da bolsa de Lisboa está muito dependente do ritmo da economia, das estimativas das empresas e da conclusão das duas principais OPA que representam cerca de 50% do mercado", disse Ana Negrais Matos, head of research do BPI.

As projecções do Governo para o Produto Interno Bruto são de uma subida de 1,1% em 2006, um aumento de 1,8% em 2007 e um crescimento de 2,4% em 2008.

A mesma analista salienta que "a performance em 2006 foi muito influenciada pelos movimentos de M&A mas não sei se o índice terá em 2007 uma valorização com a mesma intensidade. Provavelmente não".

O índice PSI-20 valorizou cerca de 30% desde o início do ano, a par do índice espanhol Ibex 35, num ano condicionado por uma onda de fusões e aquisições que se sentiu em toda a Europa, mas com especial incidência na Península Ibérica.

A bolsa de Lisboa assistiu, este ano, ao lançamento de uma dezena de ofertas públicas de aquisição, das quais se destacam a Oferta da Sonaecom sobre a Portugal Telecom e PT Multimedia e o 'bid' do BCP sobre o BPI.

Filipe Garcia, analista técnico da IMF, considera que tecnicamente "é provável que algures na primeira metade de 2007 se inicie um período lateral de características semelhantes ao de 2004/2005 o que a suceder fará com que o PSI-20 oscile numa banda de aproximandamente 1.500 pontos".
   
O mesmo responsável lembra que o PSI-20 tem uma resistência de 11.250 pontos e um suporte nos 10.350 pontos.

...

in:Diário Económico, 27dez06

publicado por AEDA às 17:43 link do post | favorito