Bruxelas arquiva dúvidas estatísticas com Portugal

O défice de 2004 foi vítima do ajuste de contas subindo para 3,2% do PIB, o que não terá consequências práticas.

Mas isto coloca Portugal sob défice excessivo a partir de 2004 e não de 2005, como era previsto.

O Eurostat pôs ontem fim a um longo período de desconfiança e reservas sobre a qualidade das estatísticas nacionais, limpando as dúvidas que tinha sobre os défices de 2001 a 2005.

A alteração do método de apuramento das contas públicas, dependente de uma comissão técnica nomeada para o efeito, com um papel de relevo para o INE, foi um elemento decisivo junto das autoridades europeias para credibilizar as contas nacionais, que pareciam dependentes de auditorias do Banco de Portugal.

...

Luís Rego, em Bruxelas

Diário Económico

publicado por AEDA às 12:01 link do post | favorito